domingo, 29 de maio de 2016

Workshop para crianças guloso


Tivemos mais um workshop na loja DeBorla, no Sintra Retail Park.
Desta vez completamente dedicado às crianças.
Foi um dia super mega divertido e guloso :D
Foi um grupo de crianças e pais fantásticos e eu estou grata por isso. 
Todos colaboraram bastante e as mães foram um doce pela ajuda preciosa que me deram. 
Adorei!!!
Fizemos espetadas de fruta, panquecas de fruta, pizzas doces, gomas e muito chocolate. 
Claro que com isto tudo lambemos os dedos :D


E mesmo de braço ao peito não podia deixar de realizar este workshop porque as crianças são a nossa vida, o nosso futuro. E não há melhor!!!!
Por isso relembro aqui os direitos das crianças 


Foi tão bom com o chocolate que comeram a fruta toda e mais houvesse :D

Podem usar a fruta que mais gostarem.
Aqui houve um pouco de tudo para poderem experimentar vários sabores.
Morangos, cerejas, meloa cantaloupe, melancia, ananás, kiwi, banana.....
e para o chocolate usámos, chocolate de leite em pastilhas e derretemos em banho maria.

Para fazermos as espetadas e decorar, tem de ser um processo rápido porque o chocolate seca.
Mas não há problema pois podem manter na tigela ou voltarem a derreter.
Só têm de ter cuidado para as crianças não se queimarem.

E claro que foi uma festa e eles divertem-se e nós também :D






Também fizemos ratinhos com as cerejas e eles adoraram :D
Sejam creativos. Eles adoram coisas diferentes e é uma maneira de comerem fruta.

Para os ratinhos usamos duas cerejas: 
uma com o pausinho e outra sem, duas lascas de amendoa e, claro, chocolate.



E fizemos panquecas de banana, que podemos usar de maneiras diferentes:
pizzas doces e com palitos
e decoramos com tudo o que nos apetecer ;)

Receita:

1 banana esmagada com o garfo
1 ovo
1 chávena de leite
1 chávena e 1/2 de farinha

Bater todos os ingredientes com a vara de arames
podem fazer na frigideira antiaderente ou 
no forno, no tabuleiro com papel vegetal




E fizemos gomas sem açucar e todos adoraram.

Podem usar as cascas das frutas, as couvettes do gelo e as forminhas dos chocolates.

Receita:

30g de gelatina neutra
300g de água
60g de gelatina de sabor

levar ao lume a gelatina neutra e a água 
mexer sempre com a vara de arames
quando começar a ferver retire do lume
e misture a gelatina de sabor mexendo bem

verta para as cascas da fruta ou couvettes
e leve ao frigorifico ou ao congelador se quiser que solidifique mais rápido
Por 1 ou 1/2 hora



E foi assim este dia cheio de alegria e muita gulodice :D
Podem ver as fotos na página das Delícias no facebook.



Divirtam-se e sejam felizes!!!!


Tenho de agradecer muito aos colaboradores da DeBORLA, mas principalmente às minhas grandes amigas, Maria João Leal, Sónia A. Ferreira e Fátima Mendes, que me deram tanto apoio e ajudaram tanto esta maneta. Adoro-vos <3 <3 <3♥♥♥
 CARPE DIEM!!!

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Bolo de amêndoa


A subtileza das sensações inúteis, 
As paixões violentas por coisa nenhuma, 
Os amores intensos por o suposto em alguém, 
Essas coisas todas — 
Essas e o que falta nelas eternamente —; 
Tudo isso faz um cansaço, 
Este cansaço, 
Cansaço. 

Há sem dúvida quem ame o infinito, 
Há sem dúvida quem deseje o impossível, 
Há sem dúvida quem não queira nada — 
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles: 
Porque eu amo infinitamente o finito, 
Porque eu desejo impossivelmente o possível, 
Porque quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser, 
Ou até se não puder ser... 

E o resultado? 
Para eles a vida vivida ou sonhada, 
Para eles o sonho sonhado ou vivido, 
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto... 
Para mim só um grande, um profundo, 
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço, 
Um supremíssimo cansaço, 
Íssimno, íssimo, íssimo, 
Cansaço... 

Álvaro de Campos, in "Poemas" 
Heterónimo de Fernando Pessoa 


Ingredientes para o bolo

150g de amêndoa com pele
200g de manteiga
200g de açucar
150g de farinha sem fermento
6 ovos
1 c. chá de fermento
1 c. chá de bicabornato de sódio

Ingredientes para os ovos moles pobres

6 ovos
um pouco menos do peso dos ovos de açucar 
(os ovos são pesados inteiros com casca)


Preparação Bimby

Com o copo bem seco, deitar as amêndoas e triturar durante 30 segundos, velocidade 5. Reservar.
Bater os ovos, o açucar e a manteiga durante 6 min/tempª 37/vel.4
Quando acabar o tempo colocar a borboleta e programar mais 5 min/vel.3 1/2
Juntar a amêndoa e misturar durante 10 seg/vel.4 sem borboleta.
Peneirar a farinha, o fermento e o bicabornato e juntar 10 seg/vel.3
Levar ao forno, numa forma bem untada e polvilhada de farinha até estar cozido.
Desenformar, deixar arrefecer completamente e 
rechear com os ovos moles que já devem estar frios.

Ovos moles

Deitar o açucar e os ovos inteiros no copo da Bimby, 
com a borboleta e mexer 10 seg/vel.4
De seguida programar 9 min/tempª100/vel.1
Assim que acabar o tempo, retirar imediatamente do copo para uma taça. 
Deixar arrefecer bem antes de utilizar.


Preparação Tradicional

Bater a manteiga com o açucar até formar um creme macio. 
Juntar as gemas e continuar a bater. 
Peneirar a farinha, o fermento e o bicabornato e acrescentar com as amêndoas moidas. 
Por fim juntar as claras batidas em castelo firme e envolver bem sem bater.

Levar ao forno, em forma bem untada e polvilhada de farinha até estar cozido.

Desenformar, deixar arrefecer completamente e rechear com os ovos moles que já devem estar frios.

Ovos moles

Deitar o açucar e os ovos, batidos à parte, numa caçarola e 
levar a lume brando mexendo constantemente até engrossarem.
  
Notas - Os ovos moles podem não ficar na consistência desejada no tempo indicado, 
nesse caso programar mais algum tempo, tendo sempre em atenção que eles engrossam depois de frios.


Todos os artigos lindos são da loja DeBorla :D

A receita deste delicioso bolo foi adaptada da receita 
da minha querida amiga Gisela do blog Pão e Beldroegas.

Este bolinho foi o escolhido para festejar uma primeira comunhão.



Carpe Diem!!!

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Será lasanha? Será canellones?


Dia 1 de Abril na cozinha também é o dia das petas e desta vez as nossas delícias são fingidas.
Assim dizem os cozinheiros do Dia Um na Cozinha :D
Tradicionalmente, 1 de abril é considerado o dia da mentira. Você sabe por quê?
São muitas as explicações para o 1 de abril ter se transformado no dia da mentira ou dia dos bobos. De acordo com uma versão, a brincadeira surgiu na França do século XVI. Nessa época, o ano novo era comemorado dia 25 de março e as festividades só terminavam no dia 1 de abril. 
Quando em 1564, o rei Carlos IX da França adotou o calendário gregoriano e determinou que o ano novo seria comemorado no dia 1 de janeiro. Zombadores passaram a ridicularizar o dia 1 de abril, enviando presentes esquisitos e convites para festas que não existiam.

Outras justificam o dia da mentira com a ideia de que a data foi inspirada na natureza, que costumava enganar as pessoas na virada de março para abril com mudanças climáticas repentinas. Ao serem feitas de bobas pelo tempo, as pessoas resolveram também adotar a brincadeira.

No Brasil, o primeiro a adotar a brincadeira foi o periódico “A Mentira”, em 1º de abril de 1848. O informativo transmitiu a notícia sobre o falecimento de D. Pedro, fato que não havia acontecido e só desmentiu no dia seguinte.

No imaginário de crianças e adultos, a mentira está associada à figura de Pinóquio, personagem que apareceu pela primeira vez em 1883, no romance As aventuras de Pinóquio, escrito pelo italiano Carlo Collodi. Depois de inúmeras adaptações, o personagem foi imortalizado no filme homônimo de Wall Disney. Toda vez que o boneco de madeira mente seu nariz cresce, como uma forma de evidenciar que a verdade sempre aparece.

A comemoração do 1 de abril se espalhou pelo o mundo, ficando conhecida como o dia da mentira. “Poisson d’avril” é o nome recebido na França e na Itália esse dia é conhecido como “pesce d’aprile”, ambos significando peixe de abril. 

E você, já enganou alguém hoje? Seja criativo, mas cuidado com o que vai dizer, uma mentira bem contada pode se transformar numa falsa verdade, com consequências imprevisíveis.


Eu apresento-vos uma mentira deliciosa e gulosa.
Lasanha disfarçada em canellones e com bacon e queijo.
Garanto-vos que é mesmo boa e super rápida o que é sempre bom.

Ingredientes:
Massa para lasanha comprida sem precisar de cozer previamente
(esta comprei no LIDL)
Bacon fatiado
Queijo Flamengo

Como explica a foto, só tem de partir a folha de lasanha ao meio
colocar uma fatia de bacon e duas fatias finas de queijo
depois é só enrolar e colocar num pirex


Molho de tomate:

40gr azeite
2 dentes alho picados
1 cebola picados
1 cenoura pequena picada
500gr tomate maduro c/ pele picado
sal e pimenta q.b.
especiarias sabores de Itália da Margão
manjericão q.b.
50g de vinho branco

Junte todos os ingredientes, excepto o manjericão, e refogue até ficar bem apuradinho.
Por fim junte o manjericão fresco e picado.
Bimby:
Coloque no copo o azeite, a cebola e os alhos e triture 5 seg/vel 5. Programe 5min/varoma/vel.2.
Junte os restantes ingredientes e programe 20 min/100º/vel 1.
Rectifique os temperos. Coloque o manjericão fresco e picado.

O LIDL tem frascos de molho de tomate que é sempre bom ter em casa para urgências
e para este prato foi o que eu fiz ( eheheheheh.....)


Molho bechamel:

1L de leite
80g de farinha Maizena
60g de manteiga
sal e noz moscada q.b.

Colocar os ingredientes todos num tacho e com ajuda da vara de arames mexa sem parar, até engrossar.
Bimby:
Colocar num robot de cozinha todos os ingredientes e programe 8 min/temp.90º/vel.4

Ohhhhhhh apanhados outra vez........ usei o molho bechamel da Parmalat que é muito bom (eheheheh)
Eu precisava de uma refeição rápida ;)


Montagem:
rolos
molho de tomate
molho bechamel
ajudar com uma colher para os molhos descerem
polvilhar com queijo ralado mozzarella e por cima oregãos


Só vos digo que isto é uma grande gulodice e só apetece pegar no prato, um copo de tinto e
ir para o sofá de manta, que ainda está frio, e ver um filme ;)


Bom apetite!!!!

E boas mentiras ;)

sexta-feira, 11 de março de 2016

Delícia de baunilha e chocolate



O abraço. O abraço que parece estar a acabar. O abraço raro, o abraço verdadeiro. Da mãe que recebe o filho, da mulher que recebe o marido, do amigo que recebe o amigo. O abraço que não se pensa, que não se imagina. O abraço que não é; o abraço que tem de ser. O abraço que serve para viver. O abraço que acontece – e que não se esquece. Um dia hei-de passar todo o dia a ensinar o abraço. A visitar as escolas e a explicar que abraçar não é dois corpos unidos e apertados pelos braços. Abraçar é dois instantes que se fundem por dentro do que une dois corpos. Abraçar é um orgasmo de vida, um clímax de partilha – uma orgia de gente. Abraçar é fechar os olhos e abrir a alma, apertar os músculos e libertar o sonho. Abraçar é fazer de conta que se é herói – e sê-lo mesmo. Porque nada é mais heróico do que um abraço que se deixa ser. Porque nada é mais heróico do que ter a coragem de abraçar, em frente do mundo, em frente da dor, em frente do fim, em frente da derrota. Abraçar é a vitória do homem sobre o homem, da pessoa sobre a pessoa. Abraçar é celebrar a humanidade. Abraçar vale mais do que amar. Abraçar é o amor que se ultrapassa. O amor que se transmuta. O amor que se apaixona por se ser amor. Abraçar é mais do que o amor, mais do que a paixão, mais do que o tesão, a excitação ou a pulsão. Abraçar é para além do que abraça, para além do que é abraçado, para além do que sente ou que é sentido. Abraçar não se sente nem se sente muito. Abraçar é. E pode ser tudo aquilo que não é – mas que não deixa de ser. Pode ser o abraço que é “vem, ama-me”, pode ser o abraço que é “adoro-te, meu filho”, pode ser o abraço que é “obrigado por estares aí, meu amigo”. O abraço pode ser todos os abraços do mundo. E cada abraço é todos os abraços do mundo. E cada abraço é todos os mundos num abraço, em dois pares de braços que se tocam, que se fundem, que se encontram e que se elevam. Para lá do que sentem, para lá do que entendem. Um abraço verdadeiro é mentira, alucinação – e não é isso que o inibe de ser a mais verosímil das verdades, a mais palpável das realidades. Um dia, hei-de passar todo o dia a ensinar o abraço. Nas escolas, nas estradas, nos becos de urina e de lágrimas. O abraço. A unir o menino traquina e o menino traquinado, a criança que humilha e o desgraçado humilhado. O abraço. A unir. A prostituta que se rende e o gestor que se vende. O empregado que resiste e o cabrão que insiste. Todos. Num abraço. O abraço resolveria todos os problemas do mundo. E no entanto não deixaria de não resolver problema algum. E é sempre assim, no mundo, na vida, no sonho, na dor. É sempre assim e nunca deixará de ser assim: é aquilo que nada resolve que tem de resolver tudo o que há para resolver. Não tem nada que saber apesar de ninguém o saber: é aquilo que não serve para nada que serve para tudo. 

Pedro Chagas Freitas, in 'Eu Sou Deus' 


Robot de cozinha

Colocar no copo 150g de chocolate negro 
75 g de açúcar
200 ml. leite
2 iogurtes gregos naturais ou 200 ml. de natas
1 pacote de cuajada
7 minutos/90º/vel.5

verter imediatamente nos copos

para este efeito coloque os copos inclinados numa caixa de ovos


de seguida preparar a parte branca

Colocar no copo 200 ml. leite
2 iogurtes gregos naturais ou 200 ml. de natas
1 c. sopa de extrato de baunilha
1 pacote de cuajada
7 minutos/90º/vel.5

verter nos copos sobre o preparado castanho



os copinhos lindos são da DeBorla :D

Carpe Diem!!!!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Sopa do cozido à Portuguesa


Depois dum delicioso cozido à portuguesa, vem a fantástica sopa.
E que maravilha!!!
Esta sopa feita com as sobras do cozido é um excelente e aconchegante aproveitamento.

Do cozido guardamos a àgua onde foram cozidas as carnes, enchidos e legumes.

Para a base:
3 cenouras
1/2 nabo
1 batata
100g de feijão vermelho cozido
1 cebola
água do cozido a tapar os legumes
sal q.b.

coza tudo e quando terminar triture
adicione o que sobrou:
chouriço às rodelas
cenoura cozida às rodelas 
200g de feijão vermelho cozido
as couves
um fio de azeite
coza por mais uns minutos


Bom apetite!!!

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Dia dos namorados, enamorados, apaixonados............dia do amor


"Não interessa quem tu amas, 
onde é que amas, 
porque é que amas, 
quando é que amas ou 
como é que amas, 
o que interessa é que amas."


"Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. 
Ama-se alguém. 
Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. 
O coração guarda o que se nos escapa das mãos. 
E durante o dia e durante a vida, quando não está lá quem se ama, 
não é ela que nos acompanha – é o nosso amor, o amor que se lhe tem."


Para o bolo

300g de açúcar
300g de manteiga
300g de farinha
6 ovos
raspa de 1 limão grande ou 2 médios
1 c. sobremesa de fermento em pó
1 c. sobremesa de extracto de baunilha

Pré-aquece o forno a 170C e prepara a formas com papel vegetal na base.
Bate a manteiga com o açúcar e a baunilha, até ficar um creme macio e esbranquiçado, cerca de 10min. Vai raspando as laterais da taça, para que toda a mistura fique uniforme.
Acrescenta os ovos um a um. Caso a mistura comece a talhar junta 2-3 colheres de sopa da farinha.
Numa taça à parte peneira a restante farinha com o fermento e de seguida junta a raspa do limão.
Gentilmente envolve os ingredientes secos à mistura da manteiga até ficar um creme homogéneo e sem grumos, sem mexer demasiado.
 leva ao forno por 40-45min ou até o palito vir sem vestígios do bolo.
Retira do forno e deixa repousar cerca de 15min na forma, e depois transfere para uma base para arrefecer por completo.

Receita do bolo e inspiração do fabuloso blog Migalha Doce


Buttercream

200g de manteiga amolecida
100g de açucar em pó
1 saqueta de gelatina em pó de morango

bata tudo até ficar um creme macio

Cubra o bolo e delicie-se com o seu amor .....


"Tu eras também uma pequena folha que tremia no meu peito. 
O vento da vida pôs-te ali. 
A princípio não te vi: não soube que ias comigo, 
até que as tuas raízes atravessaram o meu peito, 
se uniram aos fios do meu sangue, 
falaram pela minha boca, floresceram comigo."


"Parece-me fácil viver sem ódio, coisa que nunca senti. 
Mas viver sem amor acho impossível."




A linda forma e restantes artigos da fantástica loja DeBorla :D

Carpe Diem!!!


terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Cozido à portuguesa cá de casa


É daquelas comidas que eu adoro.....bem, eu adoro comer!!!! :D
E o cozido à portuguesa só gosto de comer em casa, 
pois uso aquilo que mais gostamos e não junto hortelã.

Enchidos:
1 chouriço de sangue
1 chouriço de carne
1 morcela
2 farinheiras

Couves:
lobardo
portuguesa

Carnes:
entrecosto
entremeada cortada aos pedaços
carne de vaca

Acompanhamento:
2 cenouras
arroz agulha

pode juntar batata, nabo e feijão


use uma panela grande com água e sal
coza as carnes com os enchidos
retire a entremeada e frite a parte da gordura
não deixe cozer demasiado a carne de vaca
quando estiver tudo cozido retire e deixe ficar a água
retire 2 canecas desta água para fazer o arroz
coloque dentro da panela e coza os legumes na mesma água 
entretanto corte as carnes e os enchidos em pedaços
quando as couves estiverem cozidas retire e sirva

nota: reserve a água para fazer sopa


Bom apetite!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...